Dona Ivone Lara, Admiração e Respeito pela Rainha do Samba

Dona Ivone Lara é uma relíquia do samba. Ao falar em Brasil se fala em samba, e ao falar em samba se fala de dona Ivone. Nossa rainha.

Foi pioneira de seu tempo, sendo a primeira mulher negra a cantar samba enredo, compor, tocar cavaquinho, desenvolver o próprio figurino para desfilar no carnaval carioca.

Assim, brilhando em uma época que a mulher sequer poderia votar, a rainha do samba tomou posse de seu espaço e recebeu o título de “primeira dama do samba”.

Dona Ivone Lara da Costa nasceu em 1921, no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro. Seu tio Dionísio, promovia saraus e tinha como convidados Pixinguinha e Jacob, entre outros. Dona Ivone, ainda criança, participava dos eventos e foi ligada ao samba desde então.

Começou na música erudita tendo aulas com Lucília Guimarães Villa-Lobos, suas composições possuem a influência do choro na forma de notas harmoniosas. Aprendeu cavaquinho, e criava uma melodia muito sofisticada com esse instrumento musical predominantemente masculino.

Dona Ivone Lara e seu legado

Dona Ivone Lara foi uma excelente compositora, mas não podia assinar sua obra no início da carreira, pois isso não era permitido a uma mulher.

Assim, os primos assinavam a autoria da obra criada por ela, que ficava nos bastidores vendo sua arte ser prestigiada.

Mas, em 1965, Dona Ivone compõe junto com Silas de Oliveira e Bacalhau o samba enredo: “Cinco Bailes da História do Rio” a música venceu o concurso de enredos e foi para avenida como tema da escola de samba Império Serrano.

Se consagrando como a primeira mulher brasileira a ser premiada como compositora.

Inteligente, ela era uma mulher da criação e concepção. Politicamente importante as suas ações para uma mulher à época.

Dona Ivone Lara, se formou em Enfermagem e Serviço Social, deixando os filhos com o marido para estudar e trabalhar, algo muito arrojado naquele tempo. Quando questionada sobre sua coragem, ela respondeu com um sorriso lindo: “Sempre fui muito abusada”.

Em 1978, Maria Bethânia e Gal Costa, no disco “Alibi”, gravam o samba canção “Sonho Meu” composto por Dona Ivone Lara em parceria com Délcio Carvalho. Isso dá uma abrangência nacional a obra da compositora.

Em 1979 no disco “Talismã“, também da Maria Bethânia, cantou com, Gilberto Gil, Caetano Veloso a música:  “Alguém Me Avisou“.

Uma lindeza da música brasileira. Veja aqui o time de mestres, no canecão, em 2009:


A nobreza do samba tem uma rainha que emociona. Dona Ivone Lara é um exemplo de tudo que é possível.

Música “Sorriso Negro” –  Hino de uma Nação

Uma das músicas mais marcantes na nossa história – “Sorriso Negro” –  teve como compositores Adilson Barbado, Jair de Carvalho e Jorge Portela.

Em 1982 Dona Ivone Lara, em dueto com Jorge Benjor, gravou “Sorriso negro“. Esse foi considerado um dos principais sucessos na voz dela.

E no dia da Consciência Negra, 20 de novembro, data em homenagem ao grande líder quilombola Zumbi dos Palmares, que lutou pela liberdade, não podemos deixar de refletir nossa história com essa canção.

Um sorriso Negro, um abraço Negro, traz felicidade, Negro sem emprego, fica sem sossego, Negro é a raiz da liberdade..Negro é uma cor de respeito, Negro é inspiração, Negro é silêncio, é luto negro é a solidão, Negro que já foi escravo, Negro é a voz da verdade, Negro é destino, é amor, Negro também é saudade.. (um sorriso negro!)

Todas essas características tornaram Dona Ivone Lara uma mulher completa, que nos enche de orgulho. Uma vida longa e produtiva, Dona Ivone nos deixou em 2018, aos 97 anos. Ela está ausente, mas sua história terá sempre presença.

Aqui na T-sound, nossa admiração e respeito por ela e, por nossa gente, vem estampada no peito.

Nossa camiseta exclusiva aqui é uma pequena homenagem a essa artista tão grande.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *